Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, OSASCO, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, Livros, Música



Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Entre palavras


 
Brasil B


O pai de tantos dias dos pais

Eu não sei quanto a vocês, mas para mim este senhor foi um verdadeiro pai (e ainda é). Pode não ter sido o melhor dos exemplos, mas esteve sempre presente. Embora fizesse uso de métodos pouco convencionais, tentou educar a todos. Não só as crianças da Vila, mas, um pouco, a todos que passaram sua infância assistindo Chaves.

Tem muita gente que não gosta do seriado. Eu até entendo. Mas é difícil não simpatizar com esse senhor magrinho, feinho, mal vestido, mas tremendamente boa praça! Um homem em sentido figurado, diria o Quico. Alguém que só faltava ser formal para ser homem, afinal, segundo o Chaves o homem deve ser feio, forte e formal. Um papaizinho que inspirava confiança, segundo a Chiquinha.

É difícil não lembrar dele em um dia que se celebra àquele que nos ensinou o que é certo e errado. E o fez com maestria! Nada desses pais estritamente corretos, exemplares, ou absolutamente ineptos a esse encargo tão difícil. Nada disso!

Por exemplo, não terminou o fundamental, mas estava sempre lendo algo. Fosse um jornal ou uma revista em quadrinhos. Além da escola (aonde ele, aliás, assumiu magistralmente lecionou) era por ele que as crianças se aproximavam da leitura (em alguns casos, segundo as palavras do Chaves, da leitura de revistas em que pobres senhoras não tinham o que vestir).

Olha, eu posso estar forçando demais as ideias, as emoções e inclusive a amizade de vocês meus bravos e leais amigos. Mas... Hoje é dia de homenagearmos àqueles que estiveram ao nosso lado (física ou “coraçãomente”)!!! O meu grande pai biológico eu já homenageei, faltava homenagear aquele que me ensinou: “não há um mal trabalho, o mal é ter que trabalhar”, “a vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena”, “pode ser difícil amar os inimigos, mas amar os idiotas é praticamente impossível”. E ensinou isso, da parte dele, entre um bico e outro, entre uma leitura e outra; e da minha parte, entre uma garfada e outra, entre um trabalho e outro.

No fim, aprendi que, como ele mesmo dizia – e fazia -, devemos trazer todos os dias conosco um “sorriso franco e espontâneo” independente do problema, ou do aluguel, que nos avizinha.

Feliz dia dos pais!!!!

Ave (Don) Ramón Castillo e Valdéz! Ave Seu Madruga!

Crédito da foto: http://spe.fotolog.com/photo/46/14/66/calistenia/1234395883064_f.jpg

 



Escrito por Flavio Manzatto às 12h38
[] [envie esta mensagem] [ ]



O acto da sociabilidade

"Escorrego a mão pelo corpo, desço-a até o quadril. Coloco-a no bolso. Sinto o volume um tanto cheio, meio vazio. Na boca está. Aceso, infla-me e tão logo expilo. O desejo latente se esvai na fumaça a bailar no ar. Volúpia das volúpias, nas palavras de Tolstói, ou de acordo com Wilde, o prazer perfeito.

Mal chego ao meio e aproxima-se um sujeito que nunca vi. Soslaio para minhas mãos:

 - Você pode me dar cigarro?
 
Estendo-lhe o maço. Agradece.
Meio cheio, um tanto vazio. Entremeados pelas tragadas: cinema, literatura, o tempo, a Dilma... Nunca o vi, e tampouco, vira-me outrora, soma-se mais um fumante. O papo evolui. Mais bocas, mais tragos, menos espaço e a placa, distante, a advertir a proibição do ato.
 
(Como faz falta um café).
 
Nada disso seria possível sem a sociabilidade do cigarro.

Ou um desconhecido chega à outra pessoa e diz para dividir a coca ou deixe-me morder a sua esfiha?"

(Texto de Francisco Carrasco).

 



Escrito por Flavio Manzatto às 07h50
[] [envie esta mensagem] [ ]



Agnes Obel, às colinas!!!!!!

 

Façam um favor aos ouvidos de vocês, ouçam urgentemente Agnes Obel. Ouçam desesperadamente! Ouçam agora! Já! O que pode significar o advento da audição após décadas de surdez radiofônica. Após anos de embotamento com o mesmíssimo lixo industrializado de sempre. Uffa... Desabafei... Agora vai!

Essa moça aí de cima com a cara fechada é Agnes Caroline Thaarup Obel, dinamarquesa nascida em 1981 que lançou seu álbum de estréia em 2010. Vocês já ouviram o "You are free" da Cat Power?

A primeira música é a instrumental "Falling, catching" que realmente dá uma sensação de algo caindo, algo sendo procurado. Essa música tem uma cara de outono. É estranho, mas tem. Depois vem "Riverside" e tem início a voz aguda e doce de Agnes que não se altera nas três próximas músicas. Uma mais gostosa que a outra de viajar: "Brother Sparrow", "Just so" e "Beast" da qual vocês só voltarão a si quando ela grita: "Go back and forward!", em "On Powdered Ground", que acaba soando como um "come back". E então você acorda a tempo de ouví-la elevar a voz e dizer: "taking all from uuuuuuuuuusssssssss".

E então vem a pergunta: o quê?!?! O que levaram de nós? E nesse momento nos vemos sobre a montanha, "over the hill". Era a música anterior a essa, mas nem percebemos enquanto viajávamos na voz de Agnes. E ela não nos levou às colinas antes de nos fazer passar por uma “wallflower”. Aliás ouçam pra se abismar com a idéia que ela faz de uma parede de flores.

Agora sim, pronto. Coloque “Over the Hill” e veja como foi fácil ela nos levar até lá. Às colinas, meus amigos!!! Todos nós. O quanto antes!!!!!!

http://www.agnesobel.com/

Crédito da foto: http://indiehere.blogspot.com/2010/07/agnes-obel.html

 



Escrito por Flavio Manzatto às 18h34
[] [envie esta mensagem] [ ]



O fim de espaços de convívio e a virtualidade de se relacionar

Eu gostaria de dar início a esse ano de 2011 desejando-lhes boas novas, mas é impossível... Pode parecer mesquinho diante de tanta calamidade em função das chuvas, sobretudo no Sudeste, mas a notícia do fechamento do Cine Belas Artes (esquina da Consolação com a Paulista) me entristeceu profundamente.

Não vou me ater à qualidade do espaço, dos filmes, da localização e de tantas outras vantagens físicas do local, que são por demais óbvias e conhecidas de todos. Quero discutir a esfera psicológica. Eu posso ser louco, mas o fechamento de espaços de convívio da cidade (cinemas, lojas de música - fica pra outro post analisar a decadência irrefreável do Shopping Grandes Galerias - a "Galeria do Rock, das livrarias - é possível contar nos dedos às boas do ramo ainda em funcionamento) me deixa um tanto quanto desconfiado.

A internet e a informática nos possibilitam coisas maravilhosas! O discurso promove a liberdade e a autonomia, mas o que eu sinto é um processo acelerado e acentuado de isolacionismo. Tudo é possível de ser feito pelo computador. Tudo!!! De pagar uma conta a namorar. Tudo!!!!

Eu posso ser chato e retrógrado, mas valorizo demais o acaso. O acaso que é a base do acordo de convivência nesses espaços que eu citei. Pessoas diferentes, livros diferentes, situações diferentes... Tudo isso é muito distante da tranquilidade virtual e do conforto de só nos relacionarmos com quem queremos ou conviver apenas com o que toleramos.

Isso pode parecer hipócrita vindo de um blogueiro, mas enfim... Logo, logo, este será o único espaço que teremos para nos relacionar.

Crédito da foto: Portal R7



Escrito por Flavio Manzatto às 05h22
[] [envie esta mensagem] [ ]



Joyeux Noël!

Depois de ouvir, nessa semana à exaustão, músicas natalinas com a Simone, Ivan Lins e ladeira à baixo da MPB, além da versão já tão combalida do John Lennon, a qual nem ele mais aguentaria ouvir, resolvi presenteá-los!

E aposto que esse por esse presente vocês não esperavam e irão gostar: rock francês !!!! Isso mesmo! Nada de "Ne me quitte pas" ou "Je t'aime... Moi mon non plus" (que é sensacional mas não tem nenhuma relação plausível ou aceitável com o espírito natalino). 

A banda se chama Mademoiselle K. O "K" fica por conta da vocalista, guitarrista e líder da banda, Katerine Gierak que, para a imensa alegria deste que vos escreve, é dona de uma voz rasgada bem anos 90. Isso não é demais?!?!!?!?!? Desculpem-me a efusão de alegria. Ouvir algo recente que, ao menos, lembre aquele grito dos anos 90 já é motivo de sorriso pra mim!

O site oficial da banda (que ainda conta com Peter Combard na guitarra solo, Pierre-Louis Basset no baixo e David Boutherre na bateria) é este: http://www.mademoisellek.fr/accueil

São 3 os álbuns lançados até agora, o 4º será lançado em 17 de janeiro de 2011 na Europa e já tem um single que, aliás, é o nome do cd: "Jouer dehors" (traduzido macarronicamente por mim como "jogar fora"): http://www.youtube.com/watch?v=GLfayRR4Rs4&feature=player_embedded#!

O primeiro álbum é de 2006, "Ça me vexe" ("isto me avexa!" hahahah meu francês está afiado!) Tem ótimas músicas! Não percam tempo e ouçam "Plus le coeur à ça".

Em 2008 é lançado "Jamais la paix", com o qual fiquei fã da banda. Por favor, ouçam a versão acústica de A.S.D. antes de ouvir o restante do álbum sobre a égide de guitarras: http://www.youtube.com/watch?v=sGbEKVgmJvo&feature=channel Já ouviram? Eu espero... Ótimo, ouçam de novo e de novo!!!

Em 2009, a banda lançou seu álbum ao vivo, "Live" que compila os álbuns de 2006 e 2008.

É isso pessoal, eu não vou me atrever a citar outras músicas que influenciem (mais) os seus ouvidos, nem citar frases como "Je t'aime encore parfois" ou "Je suis jalouse à en faire trembler les gens, à faire trembler mes jambes. J'ai plus qu'à plonger en silence". Tampouco traduzí-las, acho que a tradução irá limitar o que cada um pode sentir ao lê-las de tão geniais que são. Geniais como o velho John, que também se permitia o erro. Ah, mas eu não estou falando da "Merry Christmas (War is over)" na qual ele acertou em muito. Mas sim de quando ele disse que rock francês é igual a vinho inglês. Nessa eu discordo de você John!

JOYEUX NOËL A TOUS

Crédito da foto ao site Makha Studio: http://makaha-studio.com/news/images/concert/Mademoiselle_K_15NB_low.jpg



Escrito por Flavio Manzatto às 20h19
[] [envie esta mensagem] [ ]



Modéstia

Ontem, o suíço Joseph Blater disse o seguinte ao ser perguntado sobre qual deveria ser a atitude de gays e lésbicas em 2022 no Quatar: "Não devem fazer sexo".

Desconcertado com a própria gafe ainda tentou emendar, dizendo que era contra os preconceitos, mas já era tarde. O que faltou mesmo ao Joseph foi modéstia. Isso mesmo, modéstia. Veja o significado da palavra de acordo com o aulete (à propósito, um dicionário maravilhoso: http://aulete.uol.com.br/site.php?mdl=aulete_digital&op=loadVerbete&pesquisa=1&palavra=mod%E9stia)

Modéstia: Falta de vaidade em relação às próprias qualidades; falta de apreço pelo que é luxuoso; comedimento; adequação a padrões morais e éticos impostos pela sociedade, decência pudor.

E não é que faltou tudo isso ao Blater!!!!!?? Embora, provavelmente, os homossexuais também serão acusados de falta de modéstia no Quatar.

Nunca imaginei que fosse uma questão de modéstia... Que mundo louco!

Crédito da foto ao site "Clube Carpe Diem": http://www.clubecarpediem.com/2010/10/28/e-assim-que-se-lanca-carago/



Escrito por Flavio Manzatto às 04h20
[] [envie esta mensagem] [ ]



Papai Noel em tempos de Wikileaks

Genial!

Fonte da charge: Folha de São Paulo, caderno Opinião, A2, quarta-feira, 09 de dezembro de 2010



Escrito por Flavio Manzatto às 21h02
[] [envie esta mensagem] [ ]



"Geografização" do futebol

Ao observar a rodada final do brasileirão notei que ela tem muito mais de Geografia do Brasil do que eu imaginava. Por exemplo, quais eram os centros de disputa? Lembrem-se dos times: Fluminense, Corinthians e Cruzeiro eram os três candidatos ao título. Não por acaso eram representantes do eixo econômico do Sudeste, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, o mais importante do país.

Agora se pergunte sobre os times logo atrás, Grêmio, Botafogo e Atlético Paranaense, e caímos novamente em cidades fundamentais à economia e à política do país. Veja que maravilha, é possível ver a Geografia até nos rebaixados! O Grêmio Prudente, enquanto Barueri, Região Metropolitana de São Paulo, era destaque. O Goiás pode ter caído, mas outro representante se manteve e com isso o Centro-Oeste mantém sua relevância. Em relação ao Vitória, idem. Pode ter caído, mas outro representante estará presente. Agora, e o Guarani? É... tá aí um mistério...

A Região Metropolitana de Campinas é pujante, cresce e alavanca o crescimento do entorno. No entanto no futebol, há anos, o interior paulista (se é que podemos considerar Campinas como tal) tem se apequenado e serve como base aos times paulistanos que são referência a todo o país, como os cariocas, últimos campeões de 2009 e 2010. Tal qual o mapa de hierarquia urbana do Brasil. A Geografia não é linda?!

Adaptado/hospedagem: http://marcosbau.files.wordpress.com/2010/11/hierarquia-urbana.jpg



Escrito por Flavio Manzatto às 18h39
[] [envie esta mensagem] [ ]



Fiona Apple é Brasil!

Infelizmente esse título ufanista é uma triste mentira. Eu bem queria poder gritar isso um dia pelas ruas, mas creio que é mais fácil o dono do Wikileaks almoçar com o Obama do que a Fiona Apple fazer um show no Brasil.

Infelizmente ela é pouquíssimo conhecida por aqui, ao contrário do dono do Wikileaks e também do Obama. Ela surgiu 1996 e já em 1997 recebia prêmios e mais prêmios, no entanto desde então gravou apenas 3 discos, o último há cinco anos: "Tidal" (1996), "When the pawn" (1999) e "Extraordinary Machine" (2005).

Lembro que assistia a reprise do MTW Awards em 1997 e fiquei boquiaberto com que vi. Eu explico. Ao receber o prêmio de artista revelação, a franzina Fiona sobe ao palco e diz com todas as letras "eu só tenho uma coisa a dizer a todos que estão me olhando agora e observando esse mundo... Esse mundo é uma merda". Na reprise a VJ já emendava com o clipe de Criminal.

Só fui fechar a boca depois dos 4 minutos e tantos do clipe. Não vou me estender muito mais, vou mandar logo três "diquinhas" de músicas dela e rezar para ainda vê-la no Brasil:

Criminal (1996, do 1º álbum, "Tidal"):

http://www.youtube.com/watch?v=Btb5gOC2xYk

Shadowboxer (ao vivo em 1996, também do "Tidal"):

http://www.youtube.com/watch?v=eUSVdC1xT3g&feature=related

Oh, well (ao vivo em 2006, do último álbum, "Extraordinary Machine"):

http://www.youtube.com/watch?v=mZ_qlZTvtgE

Crédito da foto ao site Teemix: http://imstars.aufeminin.com/stars/fan/fiona-apple/fiona-apple-20060310-114649.jpg

 



Escrito por Flavio Manzatto às 21h02
[] [envie esta mensagem] [ ]



Nada de luto. Viva Leslie Nielsen, viva!!!

Eu não sei quanto a vocês, mas acho Leslie Nielsen um gênio da comédia!!!! Definitivamente e absolutamente um gênio!!!

Passei tardes inteiras rindo às lágrimas com "Corra que a polícia vem aí". Pelo amor de Deus, o Tenente Frank Drebin é inesquecível!! Quem mais diria isso para o presidente dos Estados Unidos quando este oferece um gabinete:

"Sempre sonhei com este dia... Mas receito não poder aceitar a sua oferta, Sr. Presidente. Sabe, esta semana aprendi uma lição. Acerca da Terra. Acerca do Amor. O amor é como a camada de ozônio. Só se sente a falta quando já não há. Rebentar com um suspeito em fuga com a minha magnum 44 era tudo pra mim. Dava-me gozo, sabe? E a quem não daria? Mas agora quero ser um tenente da polícia ambiental. Quero um mundo que permita ao Frank Júnior e a todos os Frank Júniores poderem sentar-se à sombra de uma árvore frondosa, respirarem o ar, nadarem no mar e irem ao supermercado sem precisar de intérprete".

Poderia mencionar centenas de cenas para dizer porque falo dele no presente e não no passado, mas ficarei com essa. Dela pode se retirar 700 interpretações, todas engraçadíssimas e, para não fugir à regra, geniais. Por isso, nada de luto pela sua morte, mas sim eternos "vivas" para vangloriar um dos grandes humoristas do cinema. Viva, Leslie Nielsen, viva!!!!!

Crédito da foto para o site Adoro Cinema: http://media.adorocinema.com/media/film/images/956/1244857396_corraqueapoliciavemai01.jpg




Escrito por Flavio Manzatto às 11h29
[] [envie esta mensagem] [ ]



Outro assunto fluminense.


Ligo a tv.

A emissora apresenta um especial dos últimos incidentes no Rio, uma espécie de trailer policial em que a população dava às boas vindas à vitória do bem contra o mal. Mudo de canal.

O comandante das forças armadas fala sobre o Rio de Janeiro. Mudo de canal.

O comandando do Bope analisa a operação na Vila Cruzeiro. Mudo de canal.

A Xuxa - ainda - apresenta um programa infantil/entrevistas/musical/qualquer coisa que dê audiência - estranho não abordar os conflitos. Desligo a tv.

Recordo-me de outro assunto fluminense: Raimundo Santa Helena! Cordelista. Comprei um livro que compila alguns de seus poemas durante a feira na USP. A seguir um cordel com o qual talvez possamos fazer algumas analogias:

Portas da frente

O povo uniu as forças

E venceu a ditadura

Mas se não houver cabeça

A Liberdade não dura

Pra ela ser permanente

Vamos entra pela frente

Pelas portas da cultura...

HELENA, Raimundo Santa Helena. (org. Bráulio Tavares) São Paulo: Hedra, 2003, p.91.

 



Escrito por Flavio Manzatto às 22h28
[] [envie esta mensagem] [ ]



Rio sob ataque, mentes sob ataque.

O humor da charge acima atenua um pouco a perplexidade diante de tudo o que ocorreu, e está ocorrendo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

E não só na Região Metropolitana. Na Região dos Lagos, em Cabo Frio mais especificamente, também houve incidentes.

As causas - do "urbanismo" dos anos 20 empurrando as populações morro acima ao custeio do tráfico pelo consumo e a corrupção - todos já discutimos e temos nossas soluções. "Soluções"... Aliás poderia ter trocado a charge pela imagem dos blindados emprestados pela marinha à polícia do Rio,  representando a solução mais moderna até hoje já elaborada!

Sinceramente, as soluções são muitas e eu não me sinto seguro de taxá-las como ideias acabadas. O que me intrigou mesmo a ponto de escrever sobre esse assunto foi uma discussão que tive sobre a condição da mente de crianças de rua se assemelhar a de veteranos de guerra.

Certo... E o que acontece com crianças de rua vivenciando um ambiente de guerra?

Fonte da charge: Folha de São Paulo, caderno Opinião, A2, quinta-feira, 25 de novembro de 2010



Escrito por Flavio Manzatto às 13h26
[] [envie esta mensagem] [ ]



12ª festa do livro da USP

Amanhã começa a 12ª festa do livro da USP, não percam!!!! As editoras mais importantes do país já confirmaram sua presença (vejam a relação aqui http://www.edusp.com.br/eventos.asp).

O desconto mínimo é de 50%. Isso mesmo, MÍNIMO! O que já me leva a acampar no saguão da Geografia na madrugada de hoje. Encontro vocês lá, de preferência no estande da LP&M. ;)



Escrito por Flavio Manzatto às 05h13
[] [envie esta mensagem] [ ]



Enfim!!!!

Depois de um longo e tenebroso inverno, estou de volta pessoal!

Vamos discutir novamente tudo o que temos direito! Desvendar o que há por trás de todas as pessoas e coisas desse universo!

Estou começando a reunir material para escrever (o que, convenhamos, em nosso brobulhante Brasil não falta!!!) e logo mais postarei sobre algum assunto periclitante de nossa tão digna sociedade.

Abraços e até mais!!!!

crédito da foto para o site olhares: http://br.olhares.com/st_foto4197646.html



Escrito por Flavio Manzatto às 10h51
[] [envie esta mensagem] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]